Skip to content

O Papa Bento XVI e Clóvis Rossi

maio 15, 2007

Ao sr. Clóvis Rossi, jornalista da Folha de São Paulo.

A respeito do artigo “O papa e a fuga do mundo” de 15/5/2007.

Impossível não notar o afável relacionamento que o sr. conserva com o sr. Fernando de Barros e Silva quando escreve que ele “melhora a qualidade deste espaço [as opiniões da F. de S.P.] ao ocupá-lo às segundas-feiras”.

Mais impossível é não se espantar pela sua mudança de comportamento quando o sr. se diz católico (“como faremos os católicos para viver no mundo?”) mas escreve que “o papa empurra os fiéis para o vazio”, atacando assim o posicionamento da Igreja, o qual foi apenas repetido e não inventado pelo Papa Bento XVI.

Que espécie de católico ataca a Igreja e elogia outro que também o faz? Estranho católico é o sr., não é mesmo sr. Clóvis Rossi? A julgar pelo que escreve, o sr. não é católico nem nas pontas dos dedos das mãos, usados para digitar este lamentável artigo!

Entretanto, tentarei analisar as demais confusões feitas em seu artigo, ignorando esta primeira confusão que o sr. faz ao pensar que é católico, sem o ser de fato.

Veja que tremenda confusão o sr. faz ao escrever que “não dá para o católico viver de costas para o mundo em que está imerso” como pretensa conclusão à “condenação ecumênica no domingo a capitalismo e comunismo” do Papa Bento XVI.

Ora, o comunismo não foi condenado por Bento XVI mas por Pio XI com a encíclia “Divini Redemptoris”, quando o sumo pontífice proclamou magnificamente que “o comunismo é intrinsecamente perverso”.

O capitalismo foi condenado, como muito bem lembraste, por S.S. Leão XIII com a encíclia “Rerum Novarum”. Mas, será que o sr. a leu? Tenho dúvidas, sérias dúvidas… Pois, o que sempre foi condenado é justamente o que hoje os pseudo sociólogos, intelectuais e bobos em geral arrogam para si como análise moderna: o uso de um sistema econômico como fim em si mesmo, sem limites morais, sem compromisso com a justiça e a verdade; o enriquecimento sem medida e os efeitos desastrosos e inevitáveis que esse tipo de sistema causa.

“Ficaremos nas igrejas rezando à espera de que surja um novo Messias e nos aponte o caminho?” pergunta o sr., se fazendo de ingênuo. E depois tenta jogar a mesma pseudo ingenuidade nos cristãos e no Papa, ora veja só, quando escreve: “imaginar que apenas um comportamento individual -cristão e impecável- resolve os problemas é cair na ingenuidade de outra fala do papa”.

Que espécie de católico acredita em outro Messias além do Filho unigênito de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo? Ora, o sr. pode ser qualquer coisa, menos católico… Pois nenhum católico que se preze desconhece o seguinte mandato de Cristo: “buscai primeiro o reino de Deus [ou seja, a salvação da sua própria alma] e a sua justiça [ou seja, a observância dos mandamentos da lei divina], e tudo o mais vos será dado por acréscimo”. Se o sr. não acredita nisso, como pode dizer que faz parte da Igreja que Cristo fundou sobre sua palavra e sobre São Pedro?

“Alguém acredita realmente que basta fazer essa peroração aos traficantes para que eles abandonem o tráfico e demais atividades criminosas que estão a ele inexoravelmente associadas?” pergunta novamente o ingênuo Clóvis Rossi. E conclui: “Não me parece francamente uma atitude cristã pedir que os cidadãos dêem de ombros ao ver toda a colossal violência que assola não só o Brasil, para esperar que Deus exija ‘satisfações’ dos criminosos.”

O sr. devia estar numa crise de criatividade ou então com um preguiça imensa para não querer pensar em nada decente para escrever, e escreveu então a primeira besteira que veio à sua cabeça.

É claro que o Papa não mandou ninguém cruzar os braços. Tente provar isso se puder. O Papa, isto sim, chamou a atenção daqueles que se envolveram com o tráfico para o fato de que suas almas perder-se-ão eternamente no inferno caso não mudem de vida. Isso é pouco? Para um católico, não! Ah, esqueci: o sr. apenas “pensa” que é católico… De qualquer forma, o juízo final não substitui a justa punição que cabe aos traficantes neste mundo; muito pelo contrário: esta é a suma punição!, que será aplicada com ou sem as punições deste mundo.

Enfim, o que conhece o sr. da doutrina moral cristã? A julgar pelo que escreve, nada! E então por que se aventura a escrever sobre assunto do qual não tem a mínima idéia? Para seguir o mainstream?, e assim roubar um pouco da glória devida ao próprio Papa? Sim, pois atacando o Papa, roubas um pouco da atenção devida a ele, não é mesmo?

“Fugir do mundo real é cômodo, mas não o modifica”. É mesmo? Então por que não paras de fugir do mundo real e estudas algo da moral católica antes de escrever baboseiras sem ter a menor noção do que faz? Quem foge do mundo é o sr., que não entende nada de catolicismo e não faz o menor esforço para entender, ao menos para poder ser justo com seus leitores.

Passar bem.

Anúncios

From → Moral, Religião

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: